Escolha uma Página
Gastronomia indiana

Gastronomia indiana

A cozinha indiana está na moda! Muito diversificada, a culinária indiana está dominando o mundo, e seus chefs de cozinha estão fazendo história! Mas no Brasil nem sempre foi assim…

Há não muito tempo atrás, conseguir comprar algum ingrediente indiano aqui era uma tarefa árdua, muito difícil mesmo. Conseguia-se curry em pó do mais comum apenas quando se estava com sorte.

Mas as coisas estão mudando, a gastronomia indiana está se transformando e aquele mundo de ingredientes antes usados para fazer um único prato, estão mudando para apenas alguns poucos e bons ingredientes e especiarias.

E essa transformação torna a vida de nós brasileiros que amamos a cozinha indiana mais fácil, pois apesar de conseguirmos comprar alguns temperos online, ainda existem muitos produtos quase impossíveis de achar.

Mas eu tenho uma boa notícia para você! Agora podemos cozinhar muitas iguarias desse país com o que compramos fácil em qualquer supermercado.

Para sustentar essa afirmação, essa semana tive o prazer de conversar com um indiano, o Anand Virmani, que hoje em dia é a maior autoridade em vinhos no país, e também um apaixonado por gastronomia, e nesse vídeo ele fala um pouco sobre essa mudança na culinária do país e dá dicas valiosas para os amantes da gastronomia indiana!

Confere e vÍdeo:

Se você gosta de gastronomia mundial, se inscreve na 2º Semana da Gastronomia clicando AQUI

 

Você gosta de pimenta?

Você gosta de pimenta?

Se eu soubesse desde pequena de todos os benefícios da pimenta, eu teria começado a utilizá-la muito antes!

Eu costumo utilizar a pimenta na minha alimentação, pois gosto muito da sensação de picância, e apesar de muitas pessoas terem a pimenta como vilã e acharem que faz mal à saúde não é bem assim!

Isso é um verdadeiro MITO, pois a pimenta faz muito bem para quem utiliza ela diariamente.

Esses são apenas alguns benefícios que ela traz para a nossa saúde: Melhora a digestão, acelera o metabolismo e controla o colesterol.

Isso tudo, devido a substância química que dá à pimenta o seu caráter picante, a capsaicina que possui propriedades benéficas à saúde.

Mas nem sempre foi assim…

Eu era como a maioria das pessoas e possivelmente como você: Não tolerava muito a pimenta, e se colocassem um pouco a mais no meu prato, eu quase morria e desistia de comer. Isso acontecia porque eu não treinava meu paladar provando quantidades diferentes de pimenta, então a quantidade mínima que me era servida, era o suficiente para causar um pequeno estrago.

Depois que comecei a viajar pelo mundo e conhecer novos sabores, fui me adaptando a quantidades diferentes de pimenta, até que cheguei a um nível de pimenta muito superior ao das pessoas que moram no Sul do Brasil. Agora tenho que me cuidar para não estragar o jantar de outras pessoas rsrs

Uma dica para você também começar a utilizar a pimenta nas suas comidas, é começar colocando apenas duas sementinhas de pimenta calabresa seca no seu preparo, e depois de alguns dias ir aumentando a quantidade de sementinhas…

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Pinterest
  • LinkedIn
  • Tumblr

Assim você vai aumentar gradativamente a quantidade de pimenta nos seus pratos, usufruir de todos os benefícios que ela traz para sua saúde e ainda se preparar para uma viagem futura para países como o México, Tailândia e Índia, que possuem comidas para lá de apimentada 😉

Se você gosta de gastronomia, curta AQUI

Um beijo :*

Manu

Austrália: praias e vinhos de alta qualidade

Austrália: praias e vinhos de alta qualidade

A gastrônoma Manu Oltramari escolheu Melbourne como destino para conhecer os melhores vinhos do Novo Mundo e aproveitar paisagens de praias lindas, sol e ótimos restaurantes

A Austrália foi o primeiro lugar onde eu quis fazer intercâmbio, isso ainda na época em que eu estava na escola. Eu queria ter essa experiência de morar em um lugar com praias lindas e, quem sabe, até surfar.

Mas o tempo foi passando e outros lugares foram brilhando meus olhos. E a Austrália foi ficando para trás.

Praia de 12 apóstolos em Melbourne. Foto: Anelise Zanoni

Em 2010, depois de passar alguns anos na Europa, eu estava pronta para viver em algum lugar novo, jovem e que tivesse uma cultura do vinho avançada. Eu já me sentia mais no mundo do vinho do que no mundo da gastronomia!

E novamente meus pensamentos se voltaram para a Austrália!

Poucas pessoas sabem, mas lá se produzem vinhos de altíssima qualidade! Eu tinha decidido me aperfeiçoar mais na área de vinhos, e nada melhor que um país jovem como esse, para eu aprofundar meus conhecimentos.

Pesquisei sobre as melhores cidades produtoras e, juntando os prós e contras, decidi ir a Melbourne, um dos locais onde fazem alguns dos melhores vinhos do “Novo Mundo” (como chamamos no meio).

Gastronomia em Melbourne. Foto: Anelise Zanoni

Melbourne é uma cidade completamente diferente de todas as cidades conhecidas do país. É uma cidade mais gastronômica, é hipster com ar europeu e regada a muito vinho!

Sim, em Melbourne existem os surfistas, que precisam viajar bastante para achar uma praia com ondas. E, sim, faz calor (às vezes). Mas o clima da cidade é mais propício para um bom restaurante e uma lareira do que para biquini e protetor solar

A temperatura de lá é perfeita para o cultivo de uvas (dias quentes e noites frias), muito parecido aqui com a Serra Gaúcha, isso fez com que eu me sentisse em casa assim que cheguei lá!

Foto: Arquivo Pessoal

Eu vivi a cultura do vinho e aprendi como nunca sobre viticultura do novo mundo, como descomplicar o vinho, e também foi lá que aprendi que não precisa falar difícil para ser um entendedor de vinhos.

Foram os ensinamentos e a vivência que tive em Melbourne e nas regiões vinícolas ao redor da cidade que me fizeram ser mais cabeça aberta e aceitar o vinho como uma bebida despojada, versátil. São esses conhecimentos que hoje passo adiante para novos consumidores de vinho.

Foram dois anos, visitas a inúmeras vinícolas, cursos de vinhos, degustações, bons restaurantes, paisagens e vinhedos de tirar o fôlego!

Definitivamente uma Austrália pouco conhecida e, sem dúvidas, foi uma experiência ímpar!

Se você quiser provar vinhos incríveis e conhecer uma cidade super gastronômica, fica a dica!

Manu Oltramari é gastrônoma e uma apaixonada pelo mundo dos vinhos. Por conta disso, percorre o mundo em busca das melhores safras e de conhecimento extra para sua carreira.

Fonte: TravelTerapia

Colheita de mel

Colheita de mel

Vamos falar de abelhas?

Elas são geniais, lindas, ajudam no meio ambiente e nos dão o mel, que é um alimento incrível, delicioso e natural.

Mas minha história com elas, é um pouco digamos…TENSA!

Para te situar na história da minha vida, antes, preciso contar que sou uma tremenda medrosa, e meu medo são elas, as abelhas.

Minha história com abelhas começou ainda quando eu era muito pequena. Sempre tivemos uma chácara no interior e desde que eu nasci, todos os finais de semana eu passava na chácara. Como o hobby do meu pai é a apicultura, ele mantinha inúmeras caixas de abelhas, e volta e meia retirava o mel. Mas para o meu azar, eu sempre, sempre era picada por essas abelhas!

O trauma foi só aumentando a medida que os anos iam passando, eu também fiquei super alérgica a abelhas.

Outro dia meu pai falou que iria para a chácara para tirar o mel das abelhas, e com toda a coragem do mundo eu me ofereci para ir com ele, pois estava louca para preparar a minha primeira leva de Hidromel (bebida alcoólica fermentada de mel, que é muito gostosa) e lá fui eu. Coloquei a roupa de apicultora, as luvas e comecei a suar frio!

Como adoro fazer vídeos das minhas experiências, aqui está o vídeo que fiz dessa experiência muito apavorante!

Se você quer dicas de gastronomia clica AQUI

Um super beijo

Manu

Vai um assado para o almoço?

Vai um assado para o almoço?

Esse final de semana fui passear na capital Porto Alegre e fiquei sabendo desse lugar super legal que abriu que serve assados e otras cositas más como polenta, paninis e cervejas selecionadas.

Eu adorei tudo o que provei e resolvi fazer um vídeo sobre a experiência gastronômica nesse lugar tão bacana que fica no centro histórico de Poa!

Se você quer mais dicas de gastronomia clica AQUI

Um super beijo

Manu

7 dicas de sobrevivência- NO AEROPORTO!

7 dicas de sobrevivência- NO AEROPORTO!

Vai ir viajar?

Com certeza a melhor forma de conhecer novas culturas, aromas e sabores é viajando! E todo mundo que viaja tem que passar pela mesma coisa:

Horas de espera no aeroporto!

Quem viaja bastante sabe como é ruim ficar esperando por horas e horas e o pior sem nada para fazer!

Se você está planejando uma viagem, saiba que você também terá muitas horas de ócio esperando em aeroportos. Pensando nisso,  fiz uma lista com 7 dicas para você poder aproveitar cada segundo desse tempo no aeroporto.

Depois de ler essa lista, tenho certeza que você vai me agradecer, pois eu acredito que esse tempo no aeroporto pode ser um belo começo de uma viagem:

1- Esse eu aprendi com uma super amiga minha da Russia, a Masha! Logo que você pisar em um aeroporto, procure a primeira loja que venda bebidas e compre logo uma mini garrafa de vinho ou espumante. Abra ali mesmo e comece a sua viagem brindando!

2- Antes de começar a sua peregrinação pelo aeroporto, busque um carrinho amplo para colocar suas coisas e não precisar ficar carregando peso, o que vai te deixar incrivelmente mau humorado!

3- Faça o famoso tour de bares: Como assim? Isso mesmo! Sabe o tour de bares que você já está se preparando para fazer no local de destino? Comece ele pelos bares do aeroporto! Vá em cada um e peça uma cerveja e um petisco local! Nada melhor que começar desfrutando da gastronomia local (mesmo que seja o aeroporto da sua cidade!)

4- Já aproveitou da gastronomia, agora você pode ir tranquilamente para os free shops para ver o que tem de interessante para olhar, porque comprar, só na volta né? Minha super dica é ir cheirando todos os perfumes, provando todos os óculos e conversando com os atendentes da MAC e finalmente vendo o quanto são caros os vinhos no free shop! Só aí, você vai matar umas duas horas! Acredite!

Essa é minha mãe, e ela adora olhar as lojas de roupas também

5- Cansou de bater perna? Procure uma ala perto de onde seu vôo sairá, que de preferência não tenha ninguém e use quantos acentos quiser para deitar confortavelmente. Descanse com suas malas bem perto de você, e com seus pertences valiosos onde ninguém poderá passar a mão.

6- Após esse tempo de cochilo, você acordou e viu que ainda restam 3 horas para o vôo. Essa é a hora que você vai ter que procurar um aparelho daqueles de massagem que funciona com moedinha e passar uns 15 minutos meditando e se imaginando no local de destino!

7- Ainda faltam 2:45 né? Aff que tortura! Agora é a hora que você vai até a banca mais próxima e compra a revista de fofocas mais absurda da loja! Você vai ver que nem vai conseguir ter lido tudo até a hora de embarcar, porque são tantas barbaridades, que você vai se pegar googleando cada notícia para saber se é verdade

E uma boa viagem!

Beijos,

Manu :*

Pin It on Pinterest

Share This